1 de setembro de 2011

Álbum novo dos Cranberries e uma confissão

Depeche Mode
The Smiths
Scorpions
Por Gabriel Matos
Quem me conhece de perto sabe que sou fanático por quatro bandas: The Cranberries, Depeche Mode, Scorpions e The Smiths. Cresci ouvindo esses caras e posso dizer sem medo de parecer piegas que suas canções me ajudaram a atravessar uma adolescência solitária e infernal. Encontrava em suas letras a energia necessária para seguir em frente e vencer os traumas que dentes cavalares, magreza absoluta, altura descomunal para os 12 anos e óculos fundo de garrafa podem trazer para uma fase da vida que já é por si só complicada. Nem entrarei no mérito das surras homéricas que recebia no colégio e dos apelidos sórdidos que me magoavam, não vale a pena.
Por tudo isso me escondia em casa e procurava afogar minhas mágoas nos livros, que lia em estrita compulsão e nas músicas, ouvidas e decoradas letra a letra. Dito isto, dá para compreender o quanto essas bandas são importantes para mim e o quanto eu sonhava em vê-las tocando as trilhas sonoras dos meus passeios solitários de bicicleta, das noites insones e das primeiras desilusões de amor, não é mesmo?
Sonho que para mim era algo distante e quase impossível, já que moro em Salvador e todos sabem que poucas bandas de rock se arriscam a vir para cá, sendo que as que vieram, arrebanharam multidões, vide os shows do Placebo, Angra e Men at Work, o que não justifica esse medo.
Enfim, ano passado tudo isso mudou. Duas dessa bandas vieram ao Brasil: The Cranberries e Scorpions e eu me prometi que iria vê-los, o problema era como. The Cranberries no Rio e Scorpions em João Pessoa. Detalhe, Scorpions em sua turnê de despedida, pois a banda está se aposentando depois de 40 anos de atividades...
Scorpions seria a primeira a vir, procurei meus poucos amigos que dividiam o mesmo amor que eu, mas esses, envoltos em suas vidas de casados e cheios de afazeres declinaram ao pedido. Comecei a me desesperar, como eu iria para o show sozinho e sem conhecer João Pessoa? Pois bem, eis que nos últimos dias de venda do ingresso, um amigo, o Alê, vem para minha casa. Em meio a uma conversa e outra, eu falo sobre o show e ele miraculosamente se oferece para ir. Resumindo, nós fomos e foi umas das viagens mais loucas, divertidas e assustadoras que já fiz. Chegamos tarde no estádio onde seria o show, mas inacreditavelmente, consegui ficar num local privilegiado em frente ao palco o que me possibilitou ver os 3 caras, agora com suas idades já meio avançadas, apavorando ainda ali em cima. Foram quase três horas de show e cada música tocada trazia a tona uma fase de minha vida.
Primeiro sonho realizado.
The Cranberries
Agora eram os Cranberries, com Dolores O'riordan, a mulher que eu amei durante toda a minha adolescência e que estaria a meio metro de mim. Comecei a me preparar para ir a esse show,mas não sabia se iria em Recife, no Rio, em BH ou em São Paulo, só sabia que eu iria. 
Pois bem, um outro amigo, o Rafa, me deu o ingresso de presente e ainda foi comigo até o Rio, lugar que escolhi para ver a banda. Cheguei cedinho no local do show, fiz amizades com os outros que estavam ali movidos pelo mesmo sentimento e esperei, amargando um frio terrível, ao show que seria a noite.
Pois os portões abriram e mais uma vez fiquei num local privilegiado em frente ao palco, bem na escada que ela descia para se aproximar do público. Eu estava em êxtase, não acreditava naquilo que estava ali em minha frente. 
Eis que a banda entra e começa seu show. Emocionei-me em diversas passagens ao longo da apresentação e esperava ansiosamente o momento que ela desceria de lá. Pois ela desceu, mas o segurança ficou em minha frente, bem em minha frente, o que fez com que ela passasse por mim e eu nem sequer a visse de perto. A frustação foi enorme. Fiquei puto.
Ela sobe e segue com o show, e eu ali, entre triste e feliz, vendo aquela mulher cantar aquelas músicas tão importantes para mim, e agora o show já estava no final. Entram os primeiros acordes de "Dreams" e a música fala sobre realização de sonhos:
"... seus sonhos vão se realizar..."
Pois é, o meu não se realizou...
Eu só queria tocar na sua mão, mas não deu. Comecei a lembrar das coisas terríveis que aconteceram em minha vida e chorei, ouvindo aquela voz tão linda. Ela pára em minha frente e canta: "1, 2, 3, 4!" E olha para baixo e vê um homem de 1,87m de altura chorando, com cara de trouxa.
Ela dá um sorrisinho que diz: "um rapaz desse tamanho chorando? Como pode?" e desce do palco mais uma vez.
Eu vi nos seus olhos o carinho que ainda agora me arrepia só de lembrar, ela veio até a mim, me pediu para não chorar mais, passou a mão em meu rosto ao que eu segurei com o maior cuidado e beijei. Ainda tive forças para agradecer por sua música ter mudado minha vida e ela disse novamente: "Don't cry".
Hoje acordei com a notícia de que a banda vai lançar um novo álbum chamado "Roses" depois de um hiato de dez anos. E é desnecessário dizer que estou ansioso né?
Segue os dois teasers:



Confesso que acordei meio sentimental hoje.

Gabriel Matos

About Gabriel Matos

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :

5 Amigos Me Deram uma Luz

Write Amigos Me Deram uma Luz
Anônimo
AUTHOR
3 de novembro de 2011 00:48 delete

quase chorei com esse post

Reply
avatar
Susan_Mendez
AUTHOR
9 de novembro de 2011 14:09 delete

Eu absorvi toda a sua frustração amigo. Eu não tenho um ídolo que me faça enlouquecer para ir no show. Mas me dá um aperto no coração quando eu vejo que bandas como Pink Floyd, Metallica, AC/DC, estão ficando velhas e quase se aposentando.

Reply
avatar
Cláudio Henrique
AUTHOR
9 de novembro de 2011 18:49 delete

uma confissão: me emocionei.

Reply
avatar
sumemo
AUTHOR
24 de novembro de 2011 14:24 delete

coloquei dreams de fundo enquanto lia o post,e confesso,chorei de molhar o teclado.acho q é pq compartilho do carinho por DM e Dolores....

Reply
avatar
Sad Boy
AUTHOR
24 de novembro de 2011 15:32 delete

Depressão corrompe minha alma, a dor dilacera meu peito, a lágrima escorre e traz para fora a inveja que senti de você. Queria que ela tivesse tocado em mim...

Reply
avatar