28 de agosto de 2011

Crítica - Planeta dos Macacos: A Origem

Denso, brilhante e assustador. Poderia listar um punhado de adjetivos para definir esse filme que começa com cenas que nos deixam em suspensão e segue num crescendo de tensão, que arquiteta e abre o caminho para o filme original. Alguns detalhes na "Origem" que poderiam passar desapercebidos por olhos desavisados são cruciais para o início da película original, o da década de 60 e quiçá de uma continuação que por ventura venha a acontecer.   Os roteiristas criaram um prequel genial em que tudo leva a apenas uma direção: A revolução dos símios. 
A história de Ceaser é tocante: como se tornou o primeiro e mais inteligente dos macacos e seu amor pelos humanos que o criaram. Várias referências aos filmes originais puderam ser notadas, o que me leva a crer que os filmes antigos serão lembrados quando as novas sequências forem criadas.
O que mais chama a atenção durante toda a projeção, é que os humanos estão ali como meros coadjuvantes. As estrelas são mesmo os macacos. A interpretação de Andy Serkys, o cara que faz o Ceaser, é espetacular. Ele conseguiu emprestar ao macaco o olhar sombrio e magoado que retratavam o caminho que a história estava tomando.
Não falarei mais, porque qualquer palavra dita aqui estragará a surpresa de vocês. Mas posso dizer sem pestanejar, que para mim, foi o filme do ano. As continuações virão, isso é fato. E eu anseio por ela. Dessa vez a natureza dará o troco ao homem e não será com a mesma moeda! 
A pergunta que fica em sua cabeça ao terminar a sessão é a seguinte: quem é o verdadeio animal irracional ali, os homens ou os símios?

Gabriel Matos

About Gabriel Matos

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :

6 Amigos Me Deram uma Luz

Write Amigos Me Deram uma Luz
Anônimo
AUTHOR
29 de agosto de 2011 10:42 delete

Assisti ao filme no final de semana e procurei hoje pela manhã, sem sucesso, qualquer crítica que compartilhasse a minha impressão sobre o roteiro.
Eis o que achei: a história é de uma tolice e ingenuidade ofensiva para mulheres, negros e quaisquer grupos de seres humanos que já foram oprimidos e subjugados na história.
Nenhum desses grupos se revolta diante dos ataques e da suposta crueldade do grupo opressor com tanta facilidade, bravura e, por que não, eficiência, quanto o punhado de símios do filme!
É impressionante. O chimpanzé César sofre tortura física e psicológica durante curto período - se eu bem entendi, menos de 90 dias -, fica magoado e projeta, coordena e bota em prática uma revolução com o objetivo de construir uma nova civilização!!!
Só para ficar nos grupos que já citei, mulheres e negros, sob esse ponto de vista, seriam incrivelmente covardes e incompetentes.
Mas isso não é verdade. A verdade é que não é tão simples perceber o que há de errado, se revoltar contra isso e liderar um grupo pela mudança com sucesso.
As revoluções levam anos, gerações, muitos livros lidos, muitas discussões escondidas em porões, muito sangue e muitas lágrimas. Alguns dias somados a alguns símios inteligentes maltratados e que se comunicam de forma precária não resulta em um planeta comandado por macacos. Essa conta não bate.
"Ah, mas o filme é ótimo. Empolga muito!!" É verdade. Mas é burro que só (chamá-lo de "brilhante" é sacanagem). E, repito, ofensivo.

Reply
avatar
Gabriel Matos
AUTHOR
29 de agosto de 2011 14:33 delete

Os macacos são alterados geneticamente, por tal motivo são mais avançados intelectualmente que os seres humanos. Os símios não possuem as amarras que infelizmente estão presas aos animais racionais que somos. Sensações como incapacidade, desânimo e fraqueza não podem ser associadas aos animais, o que certamente sobra nos seres humanos, como as mulheres e negros (citados por você) que muitas vezes sentem-se cansados e sem ânimo para seguir em frente e lutar contra aqueles que os agride, que os subjuga. Os animais do filme agem não apenas com a inteligência, anormal e recém adquirida, mas também com a junção de duas coisas: raiva e o instinto animal que em nenhum momento fora deixado de lado. Os macacos agem no calor do momento e conseguem o que querem para aquele instante, que é chegar até as sequoias. O mundo, se vc assistiu o filme e prestou atenção SPOILER

não é destruído pelos macacos, que só querem ser livres, mas sim pelo vírus que no final, se espalha pelo planeta, numa animação bem bolada e que dá de sobra as pistas para a sequência. Mas isso vc só entende se prestar atenção.
:)

Reply
avatar
Gabriel Matos
AUTHOR
29 de agosto de 2011 14:38 delete

O brilhantismo do filme para mim se encontra na façanha em se retirar de um mote tão pífio, um filme que nos leva a pensar e a discutir, como aqui estamos fazendo. Saí do cinema emocionado e, mesmo por gostar muito de bicho, meio vingado, mas o que pode mexer comigo, talvez não tenha mexido tanto com vc e a vida continua!

Reply
avatar
tripedante
AUTHOR
30 de agosto de 2011 21:40 delete

Legal a crítica!
Também fiz uma crítica no meu humilde bloguinho. Aqui:
http://cinelogin.wordpress.com/2011/08/29/planeta-dos-macacos-a-origem-critica/

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
7 de setembro de 2011 19:51 delete

Há muito tempo eu não assitia um filme tão competente e caprichado assim !!! Tudo nele está na medida certa, seja sua direção, seus efeitos especiais (realmente incríveis), sua história e seu final que fez todo o enredo valer apena...Valeu cada centavo do ingresso !!!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
19 de novembro de 2011 15:32 delete

para a pessoa do primeiro comentário:
O filme não mostra a dominação do mundo pelos símios, até aquele momento tudo que aconteceu foi uma luta Ceasar pelos direitos de igualdade, pois ele foi criado com respeito e carinho e não acha justo o que acontece com ele e com todos os símios do 'abrigo', a revolução em si vai ocorrer depois, pela disseminação do virus, que não só confere inteligencia aos simios como a morte dos humanos.
De qualquer forma a ultima cena, os macacos olhando 'de igual para igual' a cidade em cima das arvores é otima, para Ceasar uma reaclizaçao a conquista não da igualdade mas de respeito

Reply
avatar