14 de setembro de 2010

Sem idéia...



Manter um blog não é uma tarefa fácil, é árdua e muitas vezes desanimadora. É como escrever um livro: Nem sempre as idéias vêm e você fica assim, com cara de tacho, olhando para a tela do notebook, com os dedos engatilhados e prontos para disparar, mas nada sai.
Hoje acordei sem inspiração alguma, para o livro, trabalho ou faculdade. Após o show, minha vida ficou um pouco sem graça. Realizar um sonho é complicado, e agora? O que fazer depois?
Minha única irmã se casa na próxima sexta e fico pensando em tudo o que vivemos juntos, as 
brigas que tivemos e que ainda temos, as palavras não ditas e as que já foram ditas também. Fico pensando que crescemos juntos, mas que depois de crescidos, não a conheço mais.
Quantas músicas dançamos juntos, quantos sonhos compartilhamos, quantos lanches fizemos em cima do telhado de nossa antiga casa, olhando lá de cima para as casas vizinhas e tentando imaginar o que o futuro nos reservava. Pois bem, o futuro chegou e surpresa: Ele não é tão colorido como imaginaríamos que seria!
Escrever é algo libertador, mesmo que seja escrever besteira e coisas desconexas. Quando escrevemos colocamos para fora aquilo que nos incomoda e quando assim o fazemos, nos livramos do peso.
Tou tentando entender onde quero chegar com esse post e sinceramente não sei, talvez apenas escrever. Queria colocar aqui tudo de mais sujo e torpe, coisas que estão em minha cabeça e assim exorcizá-las, mas os pudores ainda me prendem com seus grilhões tão pesados.
Definitivamente, não entendo os seres humanos, com suas nuances e facetas eles me fazem pensar. Pensar em como o mundo seria melhor sem esses seres tão complicados.
Ontem fui pela primeira vez a uma aula de uma matéria na faculdade e descobri que já havia sido reprovado por faltas. Dezesseis faltas, não imagino como, se até então eu não estava matriculado na bendita matéria.
Enfim, quatro trabalhos acumulados para serem entregues até amanhã.
Acordei cedo hoje com o pessoal da Tok Stok tocando minha campanhia, meu armério tá todo ferrado, não entendo como. Talvez a velha, suja e cruel obsolescência programada, mas ora bolas, o armário só tem seis meses de uso.
Meu Deus o tempo tá passando e eu aqui, tentando me levantar.
Sim eu sei, idéias desconexas, apenas coloquei aqui uma parte infinitamente pequena do que tá se passando pela minha cabeça nesse exato momento.
Bem, deixa eu me levantar e seguir com minha vida.
Bom dia para vocês.

Gabriel Matos

About Gabriel Matos

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :